Tomás, Álvaro (Alvarus Thomas)

Lisboa, ca. 1489 — Paris, 1521

Palavras-chave: filosofia natural, medicina, tradição calculatória, Collège de Cocqueret, Universidade de Paris. 

Álvaro Tomás nasceu em Lisboa e faleceu na cidade de Paris, onde viveu muito provavelmente a partir de 1500. 

Destacou-se pelos seus trabalhos no âmbito da ciência do movimento; desenvolveu um estudo sobre as propriedades do movimento uniformemente acelerado; apresentou uma análise complexa da teoria das proporções; e alcançou resultados relevantes no estudo das séries infinitas. O prestígio que lhe conferiram estes trabalhos científicos tornaram-no uma figura marcante da tradição calculatória europeia, de tal forma que alguns historiadores o consideraram até como um precursor de Pedro Nunes e de Galileu Galilei.. 

Muito escassas são as informações sobre a sua biografia. A primeira notícia data de 1509, ano em que Tomás surge como professor de artes no Collège de Cocqueret (ou Cocquerett) da Universidade de Paris. Em 1513, Tomás estava ainda a ensinar Filosofia Natural no mesmo colégio universitário. Como era hábito àépoca, muitos estudantes inscritos nas Faculdades de Medicina, Teologia e Direito trabalhavam como professores nos colégios parisienses para conseguirem pagar as suas propinas universitárias. Entre 1515 e 1518, licenciou-se primeiro em Medicina e, logo depois, recebeu o título de Doutor. Em 1518, começou a ensinar na Faculdade de Medicina, onde foi nomeado professor, e ficou com este cargo até à data da sua morte, em 1521. 

O ambiente intelectual de Paris e da sua universidade no início do século XVI era extremamente estimulante Na altura em que Álvaro Tomás chegou á universidade, estava já bem enraizada uma forte tradição de estudantes ibéricos. Entre outros, contam-se Francisco de Melo, Pedro Margalho, Pedro Ciruelo e Juan de Celaya . [IMdSPA2] 

Publicado em Paris, em 1509, o Liber de triplici motu é a única obra conhecida de autoria de Álvaro Tomás. Trata-se de uma obra sofisticada e complexa, sobretudo escrita por um homem com pouco mais de vinte anos. O Liber de triplici motu revela uma evidente filiação à escola dos calculadores do Merton College, em Oxford – e principalmente à obra de Richard Swineshead (Suiseth, fl. 1340-1354) –, integrada nos trabalhos científicos da tradição medieval parisiense representada por Nicole Oresme .Não obstante a complexidade técnica do Liber de triplici motu, a obra teve uma larga divulgação e era bem conhecida pelos intelectuais do seu tempo. 

Luana Giurgevich 

Obras

Álvaro Tomás, Liber de triplici motu proportionibus annexis magistri Alvari Thomae Ulixbonensis philosophicas Suiseth calculationes ex parte declarans, Impressum Parrisiis, per Guillermum Anabat, 1509.

Bibliografia relevante sobre o biografado

Carlos Correia de Sá, “A soma de séries na obra De triplici Motu de Álvaro Tomás,” in Encontro Luso-Brasileiro de História da Matemática (2004), disponível online, último acesso a 26 de Janeiro de 2017: http://chcul.fc.ul.pt/textos/Sa_2004-Tomas.pdf.

Edith Sylla, “Alvarus Thomas and the role of Logic and Calculations in sixteenth century Natural Philosophy,” in Studies in Medieval Natural Philosophy, ed. Stefano Caroti (Firenze: Leo S. Olschki, 1989), 257-298. 

Edith Sylla, “Mathematics in the Liber de triplici motu of Alvarus Thomas of Lisbon,” in The practice of Mathematics in Portugal (Coimbra: 2004), 109-161.

Francisco Gama Caeiro, “Tomás, Álvaro,” in Enciclopédia Luso-Brasileira de Cultura, vol. 17 (Lisboa: Editorial Verbo, 1963-1985), 1643.

Francisco Gomes Teixeira, “Alvaro Tomaz e Gaspar Nicolas, aritmeticos,” in História das Matemáticas em Portugal (Lisboa: Academia das Ciências de Lisboa, 1934), 95-97.

Heinrich Wieleitner, “Zur Geschichte der unendlichen Reihe im Christlichen Mittelalter,” Bibliotheca Mathematica, Dritte Folge 14 (1914) 150-168.

Henrique Leitão, “Notes on the life and work of Álvaro Tomás,” Bulletin do CIM [Centro Internacional de Matemática] 9 (2000) 10-15.

Henrique Leitão, “Álvaro Tomás, calculator português em Paris,” Ciência em Portugal: Personagens e Episódios, disponível online, último acesso a 26 de Janeiro de 2017: http://www.instituto-camoes.pt/cvc/ciencia/e44.html. 

Julio Rey Pastor, Los Matematicos Españoles del Siglo XVI (Toledo: Biblioteca Scientia, 1926), 82-89.

Luís de Matos, Les Portugais à l’Université de Paris entre 1500 et 1550 (Coimbra: Universidade de Coimbra, 1950).

Maria Elfrida Ralha e Maria Fernanda Estrada, “Os conceitos matemáticos de número irracional e de razão composta, segundo Álvaro Tomás, no seu Liber de Triplici Motu,” in 4.º Encontro Nacional de História das Ciências e da Tecnologia: Construir Ciência, Construir o Mundo, 12-14 de Junho de 2014, disponível online, último acesso a 26 de Janeiro de 2017: http: //hdl.handle.net/1822/42845. 

Pascal Brioist e Jean-Jacques Brioist, “Harriot, lecteur d’Alvarus Thomas et de Niccolo Tartaglia,” in Mathématiques et théories du mouvement. XIVe-XVIe siècles, ed. Joel Biard e Sabine Rommevaux (Villeneuve d’Ascq: Presse Universitaire du Septentrion, 2008), 147-172.

Pierre Duhem, Études sur Léonard de Vinci, vol. 3 (Paris: Hermann et Fils, 1906-1913), 532-543.

Stefan Paul Trzeciok, Alvarus Thomas und sein Liber de triplici motu, 2 vols. (Berlin: Max Planck Institute for the History of Science-Edition Open Access: 2016) [Sources 7].

William Wallace, “Thomaz, Alvaro,” in Dictionary of Scientific Biography, ed. Charles Coulston Gillispie, vol. 13 (New York: Charles Scribner’s Sons, 1970-1980), 350.

Lourosa, Manuel Gomes Galhano

Almada, 1637 – 1675

Palavras-chave: astrologia, almanaques, medicina, Barroco Português.

Manuel Gomes Galhano Lourosa foi um dos mais prolíficos autores portugueses de almanaques astrológicos do século XVII. Apesar disto, existem poucos dados biográficos sobre a sua figura. 

Antes de ingressar no ensino superior, tirou o curso de Artes, onde aprendeu matemática, astronomia e astrologia, a qual venerava como a “rainha” de todas as artes liberais. Em seguida estudou e licenciou-se em Medicina na Universidade de Coimbra e exerceu a profissão de médico na Costa de Caparica e em Almada. 

Foi discípulo de Frei Pedro de Menezes (1623–1650), religioso beneditino e lente de Matemática na Universidade de Coimbra e em vários lugares das suas obras deixou transparecer a admiração pelos “doutissimos Padres Conimbricenses, que são a nata de todas as boas letras, e a quem se deve toda a benevolencia, e beneplacito, como primeiros productores de bom leite, que todos os estudantes mamamos nas suas Academias, e Universidades”. 

Apesar de se inserir na tradição cosmológica aristotélico-ptolemaica, aceite pela maioria dos astrólogos portugueses seus contemporâneos, Lourosa acompanhou de perto os debates científicos e filosóficos mais atuais da sua época e, especialmente, as teorias sobre a natureza dos cometas de astrónomos como Tycho Brahe (1546–1601), Manuel Bocarro Francês (1588–1662) ou o jesuíta Cristóvão Borri (1583–1632). No que respeita à tradição médica, Lourosa socorreu-se da medicina hipocrática. 

Os lunários e prognósticos escritos pelo autor foram obras vendidas a preços muito baixos (custavam apenas 4 reis  na década de 1640) e conseguiram chegar a um público muito amplo. Este facto garantiu-lhe um sucesso editorial imediato e trouxe-lhe uma grande fama, que não foi afetada nem pelas polémicas acaloradas com outros ilustres cientistas. A controvérsia com António Pimenta (1620–1700), professor de Matemática em Coimbra, está patente no Tratado nas Ephemeridas de Euclides, em o qual refuta certas opinioens de Manuel Alvares Galhano Medico de Almada divulgadas no seu Prognostico do anno de 1662. A disputa com Francisco Guilherme de Casmach (1570–1650), cirurgião e médico da Família Real, foi a que se tornou particularmente violenta. A causa que provocou a acesa discussão entre os dois intelectuais foi um pequeno tratado sobre a praga de gafanhotos de 1639 – publicado anonimamente – que Lourosa reivindicara como seu num prognóstico datado de 1641. A diatribe,[2]  ao contrário do que era de esperar, reforçou o prestígio social de Lourosa, que ficou tão famoso que até D. Francisco Manuel de Melo (1608–1666), numa das suas Cartas familiares, o indicou como um “acreditado vaticinador de tempos e novidades”. Lourosa ficou conhecido também pelo seu empenho na Restauração da Independência de Portugal. O apoio dado ao novo governo foi evidente no prognóstico de 1669, no qual o autor festejou o tratado de paz entre Portugal e Espanha de 1668 e a independência de Portugal.

A sua carreira astrológica foi intensa. Ao longo de quarenta anos, publicou regularmente almanaques astrológicos. Para além de prognósticos e lunários, editou também versos em latim e escreveu um comentário ao primeiro canto d’Os Lusíadas de Camões. As obras científicas de Lourosa foram editadas por oito impressores diferentes: Manuel da Silva (1644?), Vicente de Lemos (1645?), António Alvarez (1643–1653), João Alvarez de Leão (1655–1657), Domingos Carneiro (1662?–1665), João Pereira (1666), António Craesbeeck de Melo (1659 e 1666–1668) e Francisco Vilela (1672–1674). Muitas das suas obras nunca foram impressas, apenas existindo versões manuscritas. Entre estas, salienta-se uma das suas primeiras obras juvenis, o Alvitre matemático, que ficou inédita por não ter recebido a autorização da Inquisição. A Polymathia Exemplar, onde expôs a sua teoria sobre a natureza dos cometas e analisou a passagem de um cometa em 1664–1665, é considerada a sua obra maior. 

Faleceu em Almada e foi sepultado no Convento dos Capuchos da Caparica da Ordem dos Frades Menores da Província da Arrábida. 

Luana Giurgevich

Obras

Lisboa, Biblioteca Nacional. Lourosa, Manuel Gomes Galhano.  1641. Alvitre Mathematico. Tratado Politico, physiologico, democratico, ethico, aristocratico e theologico. Dado et dirigido ao novo monarcha da lusitania, aos briosos fidalgos et leays deste reyno, aos nobres vassalos seus et ao fidelissimo povo de Portugal. Repartido em quatro discursos breves et ultimamente em hum epilogo succinto de todo tratado historico. Offerecido ao mesmo monarcha excelso Dom João IIII Rey do nome dado pelo ceo a esta monatchia[?] lusitana. Composto pelo licenciado Manuel Gomes Galhano Louroza Medico et Mathematico natural da villa de Almada. Almada: s. n. Cod. 517.

Lourosa, Manuel Gomes Galhano. Documentos varios para todos, e segundo prognostico: Tirados da Astrologia, Dignos de se observarem em todas as Luas dos doze mezes do anno de 1645… Lisboa: Manuel da Silva, s. d., 1644?.

Lourosa, Manuel Gomes Galhano. Prognostico e Lunario do Anno de 1646: Com todos os aspectos assi do Sol com a Lua, como dos mais Planetas: Vão juntamente 7 notabilidades deste mesmo Anno de 46 dignas de ponderação: Calculado ao meridiano de Lisboa… Lisboa: Vicente de Lemos, s. d., 1645?.

Lourosa, Manuel Gomes Galhano. Prognostico, e Lunario do anno de 1644: com todos os aspectos da Lua com o Sol, & dos mais Planetas com a mesma Lua: leva mais seis notabilidades dignas de ponderar neste mesmo anno de 644.: calculado ao Meridiano de Lisboa…: offerecido, não a quem o ler de emprestimo, mas a quem o comprar por seu dinheiro.Lisboa: Antonio Alvarez Impressor del Rey N. Senhor, 1643. 

Lourosa, Manuel Gomes Galhano. Prognosto, e Lunario do anno de 1647: com os aspectos mais principaes de todos os 7. Planetas: vam tambem 4. notabilidades do mesmo anno, que são dignas de notar: calculado ao Meridiano de Lisboa… dedicado aos Medicos Astrologos deste Reyno. Lisboa: Antonio Alvarez Impr. DelRey N. S., 1647. 

Lourosa, Manuel Gomes Galhano. Prognostico e Lunario do Anno de 1648: Com todos os aspectos mais notaveis de todos os 7 Planetas: Vam tambem 6 notabilidades do mesmo Anno de 48: Calculado ao meridiano da Cidade de Lisboa…Lisboa: Antonio Alvarez, 1647. 

Lourosa, Manuel Gomes Galhano. Prognostico e Lunario do Anno de 1649: Com os mais principaes aspectos dos Planetas: Vam tambem 7 notabilidades do mesmo Anno de 49: Calculado ao meridiano da Cidade de Lisboa… Lisboa: Antonio Alvarez Impr. DelRey N. S., 1648.

Lourosa, Manuel Gomes Galhano. Prognostico, e Lunario do anno de 1650: com as conjunçoens, quadrados, & opposiçoens de todos os 7. Planetas: vam tambem 5. notabilidades do mesmo anno de 50: calculado ao Meridiano da Cidade de Lisboa…Lisboa: Antonio Alvarez Impr. Del Rey N. S., 1649. 

Lourosa, Manuel Gomes Galhano. Prognostico, e Lunario do anno de 1651: com os aspectos dos Planetas mais notaveis, vam tambem 2. notabilidades do mesmo anno de 51.: calculado ao Meridiano da Metropoli deste Reyno… Lisboa: Antonio Alvarez Impr. Del Rey N. S., 1650. 

Lourosa, Manuel Gomes Galhano. Prognostico, e Lunario do anno de 1652: com as suas notabilidades dignas de ponderação: estas seram 4. abaixo referidas: calculado ao Meridiano de Lisboa, cabeça da Lusitania… Lisboa: Antonio Alvarez, 1651.

Lourosa, Manuel Gomes Galhano. Prognostico, e Lunario do anno de 1653: com 6. notabilidades dignas de consideração: calculado ao Meridiano de Lisboa, cabeça da Lusitania…Lisboa: Antonio Alvarez Impressor Del Rey N. S., 1652. 

Lourosa, Manuel Gomes Galhano. Prognostico, e Lunario do anno de 1654: com 3. notabilidades dignas de consideração: calculado ao Meridiano de Lisboa, cabeça da Lusitania… Lisboa: Antonio Alvarez Impressor Del Rey N. S., 1653.

Lourosa, Manuel Gomes Galhano. Prognostico, e Lunario do anno de 1656: calculado ao Meridiano da Cidade de Lisboa… desempenho do anno passado de 1655. que tambem servirà de prologo ao leitor deste presente de 1656. Lisboa: João Alvarez de Leão, Impressor de livros, 1655. 

Lourosa, Manuel Gomes Galhano. Pronostico e Lunario do anno de 1658: calculado ao Meridiano de Lisboa… Lisboa: João Alvarez de Leão, 1657. 

Lourosa, Manuel Gomes Galhano. Prognostico, e Lunario do anno de 1660: calculado ao Meridiano de Lisboa… vay acrecentado com algumas annotações, & notabilidades raras de cousas preteritas, & futuras, tudo digno de ponderação, que nota cautellas & advertencias. Lisboa: Officina d’Antonio Craesbeeck, 1659. 

Lourosa, Manuel Gomes Galhan. Prognostico e lunario do anno de 1662… Lisboa: Antonio Craesbeeck, 1661. 

Lourosa, Manuel Gomes Galhano. Prognostico, e Lunario do anno de 1663: calculado ao Meridiano de Lisboa… Lisboa: Domingos Carneiro?], 1662. 

Lourosa, Manuel Gomes Galhano. Prognostico, e Lunario do anno de 1665: calculado ao Meridiano de Lisboa… Lisboa: Domingos Carneiro?], 1664. 

Lourosa, Manuel Gomes Galhano. Prognostico, e Lunario do anno de 1666: calculado, ao Meridiano da Cidade de Lisboa… vai acrecentado com huma advertencia breve, ou annotação succinta sobre a noticia do Cometa passado, que todos vimos neste anno de 1665. Lisboa: Domingos Carneyro, 1665. 

Lourosa, Manuel Gomes Galhano. Prognostico, e Lunario do anno de 1667: calculado ao Meridiano da Cidade & Corte de Lisboa… Lisboa: Joam Pereira Mercador de Livros, 1666. 

Lourosa, Manuel Gomes Galhano Lourosa. Polymathia exemplar: doctrina de discursos varios: offerecido ao Conde de Castel-Melhor: Cometographia Meteorologica do prodigioso, e duturno Cometa, que appareceo em Novembro do anno de 1664, occupação curiosa do Licenciado Manoel Gomez Galhano Lourosa, Medico Lusitano. Lisboa: Officina de Antonio Craesbeeck de Mello Impressor de S. Alteza, 1666. 

Lourosa, Manuel Gomes Galhano. Discurso Medico, appendis de contagios ao tratado do Cometa. Lisboa: Officina de António de Craesbeeck de Mello Impressor de S. Alteza, 1666. 

Lourosa, Manuel Gomes Galhano. Prognostico, e Lunario de 1668: calculado ao Meridiano da Cidade de Lisboa… Lisboa: Officina de Antonio Craesbeeck de Mello, Impressor del Rey N. Senhor, & de Sua Alteza, 1667.

Lourosa, Manuel Gomes Galhano. Prognostico e Lunario do anno de 1669: calculado ao Meridiano de Lisboa…: prognostico de Pazes, & de aplausos Lusitanos. Lisboa: Impressão de Antonio Craesbeeck de Mello, Impressor de Sua Magestade, & Alteza, 1668.

Lourosa, Manuel Gomes Galhano. Prognostico & Lunario do anno de 1673: calculado ao Meridiano de Lisboa… Lisboa: Officina de Francisco Villela, 1672.

Lourosa, Manuel Gomes Galhano. Prognostico, e Lunario do anno de 1674: com todos os aspectos da Lua com o Sol, & mudanças do tempo: calculado ao Meridiano da Cidade de Lisboa… Lisboa: Officina de Francisco Villela, 1673.

Lourosa, Manuel Gomes Galhano. Prognostico & lunario do anno de 1675: com as particularidades mais necessarias das mudanças dos tempos dos 12, mezes do anno: calculado ao Meridiano de Lisboa… Lisboa: Officina de Francisco Villela, 1674. 

Lourosa, Manuel Gomes Galhano. Prognostico e lunario do anno de 1669… Lisboa: Impressão de Antonio Craesbeeck de Mello, 1681?. 

Bibliografia relevante sobre o biografado

Camenietzki, Carlos Ziller. “O Astrônomo e a Restauração. Manuel Gomes Galhano Lourosa e sua intervenção na política de Portugal Restaurado.” In History of Astronomy in Portugal, Proceedings of the International Conference History of Astronomy in Portugal: Institutions, Theories, Practices, Lisboa, 24-26 September, 2009, ed. Luís Saraiva, vol. 1, 183-202. Lisboa: Sociedade Portuguesa de Astronomia, 2014. 

Camenietzki, Carlos Ziller e Luís Miguel Carolino, “Astrologers at War: Manuel Gomes Galhano Lourosa and the Political Restoration of Portugal, 1640-1668.” Culture and Cosmos 13 (2009): 63-85.

Mota, Carlos Henrique Vólaro Caminha. “Sinais de soberania. Leitura dos céus e ação política na guerra da Restauração portuguesa (1640-1668)”. Dissertaçãao de mestrado. Rio de Janeiro: Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2010 

Machado, Diogo Barbosa. “Antonio Pimenta.” In Bibliotheca Lusitana Historica, Critica, e Cronologica…, tomo 1, 353-353. Lisboa: Officina de Antonio Isidoro da Fonseca, 1741.

Machado, Diogo Barbosa., “Manoel Gomes Galhano de Lourosa.” In Bibliotheca Lusitana Historica, Critica, e Cronologica…, tomo 3, 278 Lisboa: Officina de Ignacio Rodrigues, 1752.

Melo, D. Francisco Manuel de. “Centuria Quarta: Carta I. Ao Doutor Manuel Temudo da Fonseca Vigairo Geral do Arcebispado de Lisboa. Acha-se impressa em a terceira parte das suas Decisões Eclesiasticas. Estampadas em Lixboa ano de 1650.” In Primeira Parte das Cartas Familiares de D. Francisco Manuel escritas a varias pessoas sobre assuntos diversos…, ed. António Luís de Azevedo, 492. Roma: fficina de Filipe Maria Mancini, 1664. 

Silva, Inocêncio Francisco da. “Manuel Gomes Galhano Lourosa.” In Diccionario Bibliographico Portuguez, tomo 5, 444. Lisboa: Imprensa Nacional, 1860.

Carolino, Luís Miguel Carolino. A Escrita Celeste. Almanaques astrológicos em Portugal nos séculos XVII e XVIII. Rio de Janeiro: Access, 2002. 

Carolino, Luís Miguel Carolino. Ciência, astrologia e sociedade. A teoria da influência celeste em Portugal (1593-1755). Porto: Imprensa Portuguesa, 2003.

Carolino, Luís Miguel. “Tokens of the future: comets, astrology and politics in early modern Portugal.” Cronos 9 (2006): 33-58. 

“Manuel Gomes Galhano de Lourosa (16–).” In Obras de Luiz de Camões Precedidas de um Ensaio Biographico no qual se relatam alguns factos não conhecidos da sua vida Augmentadas com algumas composições ineditas do poeta pelo Visconde de Juromenha, vol. 1, 347. Lisboa: Imprensa Nacional, 1860.